Cavernas do PETAR – 3º Dia – Caverna do Diabo – Percurso Curto

cavernas petar

 

No último dia de nosso passeio nos dirigimos para a Caverna do Diabo. Se você tiver com bastante tempo da para explorar a região na parte da tarde.

 

Como estávamos com medo do trânsito por conta de ser um feriado, decidimos visitar a Caverna do Diabo e depois ir embora.

 

Neste post iremos relatar na íntegra como foi o Percurso Curto, e no próximo post informaremos o que mais você poderá explorar na região, disponibilizando um dia todo para a região.

 

Em nossa opinião se você disponibilizar o seu dia todo para a região, irá conhecer grandes belezas. Por isso sugerimos o percurso completo (que postaremos no próximo post)

 

Até agora nosso passeio ocorreu da seguinte maneira:

 

 

Cavernas do PETAR – 1º Dia – Núcleo Santana – Trilha Morro Preto + Caverna Morro Preto + Trilha Caverna Santana + Caverna Santana + Caverna Couto

 

Cavernas do Petar – 2º Dia – Núcleo Santana – Trilha Rio Betary + Caverna Água Suja + Cachoeira Andorinha + Cachoeira Beija-Flor + Caverna Cafezal

 

 

Contamos anteriormente, tudo que você precisa saber sobre o que encontrará em PETAR e região!

 

 

O que Você Encontrará ao Visitar Petar? Cavernas, Grutas, Cachoeiras, Mirantes!

 

 

Agora vamos relatar na íntegra como foi o 3º dia do nosso passeio!

 

PARQUE ESTADUAL DE JACUPIRANGA – NÚCLEO CAVERNA DO DIABO

 

Portal Eldorado

É uma das maiores Unidades de Conservação do Estado de SP, com uma área de 150 mil hectares. O seu relevo é formado por montanhas que chegam à até 1.300 metros de altitude e sua vegetação é de Mata Atlântica, chegando a ter em alguns pontos, restingas e até mesmo manguezais. Possui mais de 2mil anos, mas foi descoberta a pouco mais de 50 anos.

 

Caverna do Diabo (49)

Caverna do Diabo (54)

 

As formações rochosas, formadas ao longo desses 2 mil anos, são de tirar o fôlego! Como a natureza é poderosa!!!
O parque possui dois núcleos, somente um deles aberto à visitação: Núcleo Caverna do Diabo e outro apenas para fiscalização: Núcleo Cedro. Assim como o Parque PETAR do qual falamos nestes últimos dias, abriga uma imensa quantidade de cavernas, como a Caverna da Tapagem, mais conhecida como ‘Caverna do Diabo’ e algumas cachoeiras em seu entorno.

 

Caverna do Diabo (65)

Caverna do Diabo (73)
Sua fauna está representada por alguns mamíferos, como o mico-leão-caiçara, uma espécie de primata só há pouco descoberto, além de outras ameaçadas de extinção, como o mono-carvoeiro, a lontra e a jaguatirica. Dentre as aves nas mesmas condições, está o papagaio-de-peito-roxo.
O Parque Estadual de Jacupiranga abrange 06 municípios do Vale do Ribeira: Iporanga, Eldorado, Barra do Turvo, Jacupiranga, Cajati e Cananéia e sua sede fica na cidade de Registro.
Caverna do Diabo (82)

Caverna do Diabo (85)

Caverna do Diabo (165)

COMO CHEGAR

 

Caverna do Diabo (153)

Caverna do Diabo (156)

Caverna do Diabo (162)
A melhor forma de se chegar ao Núcleo Caverna do Diabo é via Régis Bittencourt (São Paulo – Curitiba). Chegando na cidade de Jacupiranga pega-se outra rodovia (SP 193), cerca de 70 km até o núcleo, passando pela Cidade de Eldorado, sentido Iporanga (SP 165).

 

Montamos um relato completo em nosso blog. Apesar de se falar como chegar a Iporanga, também o leva a Caverna do Diabo, tendo em vista que este parque está no caminho do PETAR.

 

COMO CHEGAR NA CAVERNA DO DIABO

 

CAVERNA DO DIABO

 Caverna do Diabo (2)

 

Para muitos a Caverna do Diabo é a 8ª maravilha do mundo! Esta é a maior caverna de São Paulo é uma das principais atrações turísticas da região do Petar. Interessante é que muitos conhecem a Caverna do Diabo, mas não conhecem o Parque PETAR! Na Caverna do Diabo podemos encontrar formações de  estalactites, estalagmites e diversas formações rochosas formam um jardim de pedra bonito dentro da caverna, que é imensa.

 

Caverna do Diabo (86)

Caverna do Diabo (87)

Caverna do Diabo (168)

 

A caverna fica no Parque Estadual da Caverna do Diabo e dá para chegar de carro quase na boca da caverna. A trilha entre o estacionamento do centro de visitantes, de meio quilômetro, é fácil de fazer.

O estacionamento para quem vai de carro para a Caverna do Diabo é gratuito. O centro de visitantes conta com lojinha, restaurante e banheiros, tudo bem arrumado.

 

Caverna do Diabo (3)

Caverna do Diabo (4)

Caverna do Diabo (5)

Caverna do Diabo (6)

 

Para entrar no parque da Caverna do Diabo, é preciso pagar um ingresso de R$ 12,00 para visitar a caverna, mais R$ 11,00 por pessoa para um monitor ambiental do parque.

 

Caverna do Diabo (13)

As visitas à Caverna do Diabo são guiadas, duram cerca de 1 hora e os grupos saem das 8 da manhã às 17 horas de terça a domingo durante todo o ano. Na alta temporada, há horários para entrar na Caverna do Diabo também às segundas.

A visitação na caverna é feita de terça a domingo, das 8 da manhã ás 5 da tarde, ou até se atingir o limite máximo de visitantes por dia (336 pessoas)

 

Caverna do Diabo (133)

Caverna do Diabo (135)

Caverna do Diabo (136)

 

Infelizmente pegamos uma guia muito ruim, que não falava quase nada e ainda quando perguntávamos mal sabia responder as questões apresentadas. Passamos por um outro grupo na volta que estava recebendo uma bela de uma aula sobre as rochas e estruturas da caverna.

 

Caverna do Diabo (137)

Caverna do Diabo (138)

Caverna do Diabo (151)

 

A Caverna do Diabo tem boa estrutura turística. Se você visitar as Cavernas do PETAR primeiramente, como fizemos, irá até estranhar, pois lá não há como se sujar, se machucar ou se quer se molhar. Logo no inicio, na boca da caverna, por exemplo, já encontramos uma escadinha ao lado do Rio das Ostras, para acessar a caverna.

 

Caverna do Diabo (20)

Caverna do Diabo (21)

 

Nos 700 metros abertos à visitação turística, a Caverna do Diabo conta com plataformas e passarelas, escadas e iluminação artificial em seus amplos salões. É muito mais fácil de andar, em geral, do que a maior parte das cavernas do PETAR que podem receber turistas.

 

Caverna do Diabo (126)

Caverna do Diabo (130)

Caverna do Diabo (131)

 

Apesar de apenas 700 metros abertos para conhecer, internamente a caverna é enorme. Possui diversas formações rochosas, de vários tamanhos e formatos! A guia explicou que a maioria das rochas são calcárias e que possuem rachaduras e camadas que vão se “desgastando” e originando “novas formações” quando entram em contato com a acidez da água das chuvas e dos rios.

 

Caverna do Diabo (92)

Caverna do Diabo (100)

Caverna do Diabo (170)

 

Além dessas diferentes formações rochosas, o que mais me chamou a atenção foram os grandes salões que compõem as cavidades internas da caverna. Eles se formam devido ao rebaixamento do nível das águas, que faz com que as fendas sequem.  Com isso, ocorrem os desmoronamentos e a formação dos salões!

 

Caverna do Diabo (107)

Caverna do Diabo (108)

Caverna do Diabo (180)

Caverna do Diabo (173)

 

As formações são apresentadas dentro de alguns salões, como a Catedral e Agulhas (onde fica a imagem do diabo na rocha). Não me recordo o nome de todos, mas eram entre 4 ou 5 salões. Mas cada salão, trazia uma formação com um desenho característico de algo próximo de nós, os descobridores batizaram algumas das estruturas com nomes como: Os Aranhas”: Cabeça de Ema, Guardião, Galeria dos Órgãos, Pia Batismal, Branca de Neve, Cemitério dos Índios, Perfil de Buda, Reis Magos, Templo Perdido, Caldeirão do Diabo e Torre de Pisa.

 

Caverna do Diabo (114)

Caverna do Diabo (119)

Caverna do Diabo (121)

 

Há algumas história e rumores que o Diabo de fato mora nesta caverna!!!

Passando pelas galerias superiores, temos a opção de descer por uma corredor que leva a uma escadaria enorme ao lado do Rio das Ostras. Neste descida à esquerda, acredita-se que há um incrível e sinistro labirinto com cerca de cinco mil metros de corredores e galerias subterrâneas na mais profunda escuridão. Neste trecho, que conduz ao centro da Terra, é proibida a entrada, pois, segundo a lenda, o diabo percorre diariamente esse caminho!!!

Se você observar nestas 2 fotos com cuidado, verá que há de fato uma “imagem” de uma cabeça com chifres. Dizem que é nesta direção, caverna adentro, que o Diabo vive!

 

**foto de longe (olhe no centro da imagem)

Caveira - Caverna do Diabo (144)

 

 

** foto aproximada (olhe novamente no centro da imagem – agora mais nítido)

 

 

 

Caveira - Caverna do Diabo (145)

 

Não posso deixar de citar os espeleotemas da Caverna do Diabo:  helicites, cascatas, cortinas, colunas e as já conhecidas por mim (quando estive em Petar), estalactites e estalagmites.

Foram estas as explicações que recebemos:

 

Caverna do Diabo (183)

Caverna do Diabo (184)

 

 

Este é a Torre de Pizza!

 

 

 

Caverna do Diabo (189)

 

Helictites: é um espeleotema. A força da cristalização é maior do que a da gravidade, fazendo com que os cristais cresçam para todas as direções.

Cascatas: lembram cachoeiras de mineiras formadas pela água que escorre pela parede da caverna.

Cortinas: surgem em tetos inclinados onde a água escorre ao invés de gotejar, formando listras coloridas que recebem o apelido de bacon.

Estalactite e Estalagmite: são os espeleotemas mais comuns. As estalactites são formadas presas ao teto (devido ao gotejamento lento e constante), enquanto as estalagmites nascem no chão, onde a gota cai. Geralmente bem em cima de uma estalactite.

Coluna: é a união de uma estalactite com uma estalagmite. Quando se juntam passam a crescer em largura.

 

Caverna do Diabo (123)

Caverna do Diabo (124)

Caverna do Diabo (126)

 

 

O QUE FAZER DEPOIS DE VISITAR A CAVERNA DO DIABO?

 

 

Você deve aproveitar para almoçar no restaurante da caverna. Nós não paramos para comer pois ficamos com medo do trânsito da volta, mas ouvimos falar muito bem deste restaurante.

 

Então #ficaadica

 

Caso se alimente no restaurante depois nos envie seu feedback para checarmos se é válido o que ouvimos na região!

 

Depois do almoço é possível realizar algumas trilhas dentro do parque e também visitar algumas cachoeiras nas redondezas.

Caverna do Diabo (192)

Caverna do Diabo (199)

Caverna do Diabo (202)

 

TRILHAS DENTRO DO PARQUE CAVERNA DO DIABO

 

 

MIRANTE DO GOVERNADOR

O acesso a esta trilha se dá pelo caminho que leva a entrada da Caverna do Diabo. A trilha tem 1,6km de distância, a um nível médio. Leva aproximadamente 2hs entre ida e volta. Apesar da distância, a vista que o mirante proporciona é maravilhosa. É possível em dias claros avisar de forma panorâmica todo o Vale do Ribeira!

No trajeto é possível avistar a floresta da Unidade de Conservação, a serra onde esta a Caverna do diabo, o sinuoso curso do rio Ribeira escultando as cachoeiras da região.

 

Caverna do Diabo (8)

 

CACHOEIRA DO SAPATU

Também é acessível através do parque. São 400 metros de trilha com piscina natural de aproximadamente 1,5 metros de profundidade.

Boa trilha para banho e descanso!

 

 

TRILHA DO ARAÇÁ

Esta é uma trilha autoguiada de nível baixo de 800 metros com uma duração prevista de 50 minutos. No trecho existem três quedas d’água, sendo que a primeira é só para contemplação, e as outras duas formam poços de águas cristalinas sendo possível mergulhar!

 

Caverna do Diabo (11)

 

 

VALE DAS OSTRAS

O Vale das Ostras é formado pelo mesmo rio que atravessa a Caverna do Diabo, o Ribeirão das Ostras. Uma das principais trilhas a serem percorridas no parque! Trilha com 3,62 Km de extensão, com caminhada de aproximadamente 04:00 hs, em nível médio, com cerca de 12 cachoeiras, cachoeiras do Engano, do Vomito, da Meia-Volta, da Escondida, do Salto Triplo, do Funil, do Palmito e do Papo e pelos Poços Verde e Azul, chegando finalmente ao ponto culminante do roteiro: a Queda de Meu Deus, com 53 metros de altura, e umas 15 piscinas naturais, livre para banhos e Mergulhos. A última cachoeira, Queda do Meu Deus, é a principal cachoeira a ser contemplada na região. Essa cachoeira foi eleita pelos telespectadores do programa Antena Paulista, da TV Globo, a mais bonita do estado de São Paulo. O Antena Paulista, apresentado pelo jornalista Carlos Tramontina, realizou uma série de reportagem sobre as cachoeiras do estado, apresentando quedas em sete municípios. Depois, lançou, na internet, um concurso para eleger a mais bonita e a Queda do Meu Deus foi eleita com 73% dos votos.

 

 

PASSEIOS PELA REGIÃO ENTRE ELDORADO E IPORANGA
(retirado do portal da prefeitura de Iporanga)

 

 

MIRANTE DO CRUZEIRO

O Mirante do Cruzeiro é uma imponente montanha com 510 metros de altitude de onde é possível, em dias claros e sem nebulosidade, avistar vários locais como o mar (a 58km de distância), toda a cidade de Eldorado e outras cidades do Vale, além do belo e sinuoso curso do rio Ribeira.

Para se chegar ao topo, percorre-se uma trilha de aproximadamente 1,5km com trechos mesclando entre média e forte inclinação. O topo é aberto, quase sem vegetação, e com rochas expostas, o que facilita a visualização da paisagem em todos os ângulos. Com frequência pode-se observar diversas espécies de pássaros e outros animais silvestres.

 

 

TRILHA DO LAMARCA

A Trilha do Lamarca fica a 43 km da cidade e o passeio começa no carro em direção ao Rio Batatal, tendo uma bela vista de águas límpidas, apresentando trechos de corredeiras e curvas fechadas.

As grandes atrações do roteiro ficam por conta das cachoeiras Santa Isabel, com cerca de 15 metros, e a cachoeira da Luz com 65 metros de altura que, encravada em um paredão de rocha em área de Mata Atlântica preservada, forma um dos mais belos cenários do município.

A trilha de acesso tem 1,5 km e passa por várias piscinas naturais, além outras cachoeiras. Apesar da baixa profundidade média desse rio, em alguns locais, é possível a prática do bóia-cross. O percurso de descida é de aproximadamente 2,5 km de rio. No caminho encontra-se um tobo-água natural de 10 metros, é divertidíssimo!

Nesse incrível roteiro pode-se conhecer um pouco mais da história de Eldorado e do Brasil, relembrando a passagem do Capitão Carlos Lamarca por essa região, a qual ele e suas tropas fugiam do exército, na época da ditadura militar. Daí o nome do local.

Para visitar toda a trilha, fazer o bóia-cross e curtir o tobo-água natural, gasta-se em média 6h.

 

PARQUE SALTO DA USINA

O Salto da Usina é um local onde antigamente existiu uma das primeiras hidrelétricas do Estado de São Paulo, a qual operou da década de 20 até meados da década de 50, do século passado.

A Usina era responsável por gerar energia elétrica para toda a comunidade de Xiririca, hoje Eldorado.

O ribeirão Xiririca é o principal atrativo do parque, com água cristalina, corredeiras, pequenas quedas e piscinas naturais para banho. O local, conta ainda com uma infraestrutura de lanchonete, sanitários com chuveiros, quiosques equipados com churrasqueiras, água potável encanada e energia elétrica, quadra de futebol de areia, lago, trilhas pela mata, ponte pênsil de madeira e estacionamento.

 

 

CACHOEIRA DO SAPATU

Pequena queda d’água, de mais ou menos quatro metros de altura e que forma uma linda piscina natural, ideal para banho e grupos de até 20 pessoas. Tem acesso pela estrada que liga Eldorado à Caverna à cerca de 35 km do centro da cidade, e está localizada em uma propriedade particular, onde se pode deixar o carro e em seguida caminhar por uma pequena trilha de 150 metros.

 

 

 

CIRCUITO QUILOMBOLA

O circuito quilombola de Eldorado é um dos mais ricos e tradicionais da região, contando com as seguintes comunidades: Nhunguara, Ivaporunduva, Galvão, São Pedro, André Lopes, Pedro Cubas (1 e 2), Sapatu e Poça.

 

Veja na integra como foi todo nosso passeio:

 

O que Você Encontrará ao Visitar Petar? Cavernas, Grutas, Cachoeiras, Mirantes!

 

5 Dicas para Quem vai Visitar o PETAR e a Caverna do Diabo pela Primeira Vez!

 

Onde se Hospedar e Como Chegar no PETAR – Iporanga

 

Cavernas do PETAR – 1º Dia – Núcleo Santana – Trilha Morro Preto + Caverna Morro Preto + Trilha Caverna Santana + Caverna Santana + Caverna Couto


Cavernas do Petar – 2º Dia – Núcleo Santana – Trilha Rio Betary + Caverna Água Suja + Cachoeira Andorinha + Cachoeira Beija-Flor + Caverna Cafezal

 

Cavernas do PETAR – 3º Dia – Caverna do Diabo – Percurso Curto

 

Cavernas do PETAR – 3º Dia – Núcleo Ouro Grosso: Caverna Ouro Grosso, Caverna Alambari de Baixo, Cachoeira do Sem Fim, Esticadinha na Reserva Betary e por fim a Caverna do Diabo – Percurso Completo

 

Cachoeira do Meu Deus em Eldorado – Região do PETAR

 

Passeios Radicais em PETAR – Rapel, Bóia-cross, Canyoning, Tirolesa, Corrida de Aventura e Muito Mais!

 

E você já visitou a Caverna do Diabo?

O que achou?

Deixe seus comentários e dúvidas abaixo!

 

 

Jeff & Paty

Com Pé na Estrada

www.compenaestrada.com.br

 

Faça parte da comunidade Com Pé na Estrada!

 

Siga-nos no Facebook: http://www.facebook.com/compenaestrada

Faça parte do nosso Grupo no Face – https://www.facebook.com/groups/compenaestrada/

Siga nosso Insta: @ComPenaEstrada1 – https://instagram.com/compenaestrada1/

Veja nossos vídeos no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgEwxFyLGrpgmJdqHKZdZxA

 

Viajou? Conheceu algum destino novo? Conte-nos sua experiência que ela será publicada no blog! https://compenaestrada.com.br/viagem-do-leitor/

 

Mande suas dúvidas e/ou sugestões por e-mail: compenaestrada1@gmail.com

 

Seguro Viagem: Adquira seu Seguro Viagem com a Mondial Seguros nos Banners do Blog e ganhe 15% de desconto!

 

Booking: Toda compra realizada através dos banners do Booking em nosso Blog, o Com Pé na Estrada ganha uma comissão, mas você não tem nenhum custo extra, apenas nos ajuda a manter o blog ativo!

 

Marque suas fotos com a hashtag #compenaestrada

Anúncios

9 comentários em “Cavernas do PETAR – 3º Dia – Caverna do Diabo – Percurso Curto

  1. Pingback: Cavernas do PETAR – 3º Dia – Núcleo Ouro Grosso: Caverna Ouro Grosso, Caverna Alambari de Baixo, Cachoeira do Sem Fim, Esticadinha na Reserva Betary e por fim a Caverna do Diabo – Percurso Completo | COM PÉ NA ESTRADA

  2. Pingback: Cachoeira do Meu Deus em Eldorado – Região do PETAR | COM PÉ NA ESTRADA

  3. Pingback: 5 Dicas para Quem vai Visitar o PETAR e a Caverna do Diabo pela Primeira Vez! | COM PÉ NA ESTRADA

  4. Pingback: Passeios Radicais em PETAR – Rapel, Bóia-cross, Canyoning, Tirolesa, Corrida de Aventura e Muito Mais! | COM PÉ NA ESTRADA

  5. Pingback: Cavernas do Petar – 2º DIA – Núcleo Santana – Trilha Rio Betary + Caverna Água Suja + Cachoeira Andorinha + Cachoeira Beija-Flor + Caverna Cafezal | COM PÉ NA ESTRADA

  6. Pingback: Cavernas do PETAR – 1º Dia – Nucleo Santana – Trilha Morro Preto + Caverna Morro Preto + Trilha Caverna Santana + Caverna Santana + Caverna Couto | COM PÉ NA ESTRADA

  7. Pingback: O que Você Encontrará ao Visitar Petar? Cavernas, Grutas, Cachoeiras, Mirantes! | COM PÉ NA ESTRADA

  8. Pingback: Onde se Hospedar e Como Chegar no PETAR – Iporanga | COM PÉ NA ESTRADA

  9. Pingback: Roteiro de 3 Dias em PETAR – Núcleo Santana, Núcleo Ouro Grosso, Caverna do Diabo, Cachoeiras | COM PÉ NA ESTRADA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s