Central das Artes – O Verdadeiro Crêpe!

O local é alternativo e tem um ambiente bem jovem e descontraído! Foi construído sobre um casarão dos anos 50 deu lugar a Central das Artes, um bar e restaurante especializado em crêpes, petiscos e chopes.

logo

Neste espaço são oferecidas diversas opções de crêpes doces e salgados, além de cervejas como a alemã Warsteiner e Erdinger.

A maioria dos posts quem escreve é meu excelentíssimo esposo, Jefferson =) mas, hoje, eu quis escrever!!!
Se eu disser a vocês que ao encontrar este lugar foi amor à primeira vista, será mentira! rsrs
Era aniversário de namoro e, por conhecer o romantismo do Jeff, eu esperava algo muito legal! Quando estacionamos o carro, havia umas pessoas na frente de um lugar pouco iluminado, feio até, e eu pensei comigo mesma: “Que não seja este bar!”.

Gente, eu não dava nada por aquela fachada capenga…mas quando entrei…me apaixonei!!!
O ambiente é incrível! Decorado com obras que estão à venda, música ambiente, cadeiras coloridas que trazem alegria e descontração!!! Sem falar na vista da região da Paulista!! Simplesmente demais!!!

Ao receber o cardápio, outra surpresa: os pratos têm nome de pintores famosos: Matisse, Portinari, etc.!!! Sensacional!!! Muita criatividade!!! Além disso, o atendimento é incrível, os pratos, bem servidos e deliciosos!!!!

Desde então, este restaurante virou um de nossos favoritos e já tivemos oportunidade de estar lá em diferentes momentos. Nestas visitas, percebemos que o público é variado e aparecem desde jovens da região até casais mais velhos e turmas de happy hour. O restaurante Central das Artes ainda conta com um espaço para eventos particulares, muito propício para festas de aniversários e empresas.

1

A especialidade da casa de fato são os crêpes, que agradam bastante o paladar!

O crêpe lembra uma pizza fechada, mas os ingredientes variados dão ao prato um gosto todo especial!

 

crepe

crepe 2

crepe  3

 

Sou suspeita para falar, mas vale à pena levar seus amigos e familiares para saborearem um crêpe, nem que seja para conhecer o tipo da massa, etc., já que não são todas as pessoas apreciam este prato…

 

2012-04-11_21-07-58_186

Somos frequentadores assíduos desde 2010!!!

2012-04-11_21-06-49_372

 

20150213_224453

20150213_224504

20150213_224628

Crepe - central das artes

Valores:

Os valores dos crepes variam entre R$ 15,00 e R$ 30,00, entre os sabores salgado e doce.

Endereço: Rua Apinajés, 1081
Telefone: (11) 3865-4165
Site: http://www.centraldasartes.com.br/

 

  • Cartões:visa, mastercard, american express, dinners
  • Estacionamento:pago
  • Horário:Segunda a quinta, 10h à 0h; quarta e quinta até 1h; sexta e sábado até 2h; domingo a partir das 12h.
  • Site:http://www.centraldasartes.com.br/

História do Crêpe

A origem do crepe é antiga. Eles são consumidos de várias formas há cerca de 9.000 anos. Os crepes sempre estiveram presentes em muitas regiões da Europa. A primeira receita de crepe que se tem notícia foi encontrada na França, por volta de 1390 em um livro chamado Manger de Paris (Comida Parisiense).

Na Europa os crepes se popularizaram muito. Este fenômeno é atribuído por alguns à Renascença e ao desejo que Victor Hugo expressou de ser um de Lês Miserables na hora da refeição. Desta maneira, começaram a aprimorar o crepe e divulgar o prato por toda a Europa através de uma Creperie.

Apesar da origem controversa, seja qual for a versão que tomemos como verdadeira, não há dúvida: a receita é antiqüíssima. O nome em francês, crepe, deriva do termo crispus, em latim, que significa crespo. Em italiano, são chamadas de crespelle.Originalmente, eram assados em pedra quente, e mais tarde passaram a ser preparados em chapa redonda de ferro sobre o fogo.

Há indícios de que suas raízes estejam no pão indiano chapati e nas panquecas chinesas. Mas os primeiros registros de crêpes foram feitos no século I, pelo gastrônomo romano Apicius, autor do receituário De re coquinaria. Cozidos no ferro quente, iam à mesa com mel e pimenta, de acordo com The Oxford Companion to Food (Alan Davidson, Oxford). Entretanto, os italianos defendem que a especialidade nasceu quatro séculos mais tarde.

No século V, peregrinos franceses compareceram em peso a Roma para a Festa della Canderola. Chegaram cansados e famintos, porém movidos pela fé. O papa Gelasio, empenhado em recebê-los bem, ordenou que a cozinha do palácio pontifício fosse abastecida com tantos ovos, sacos de farinha e litros de leite quanto fosse possível. Os crepes teriam nascido ali, ao acaso. Segundo essa história, os peregrinos saborearam a novidade e levaram a fórmula para a França. Os franceses, porém, garantem que a receita nasceu em sua pátria, mais exatamente na Bretanha, no oeste do país. A região pode não ser o berço dos crepes, mas é certamente o lugar que melhor os prepara. As incontáveis crêperies se espalham pelas cidades bretãs, impregnando o ar com um aroma doce e delicado. Os finíssimos crepes são habilmente feitos sobre chapas de metal. Tem sido apreciado dessa forma nos campos e nas cidades da região, há centenas de anos.
O Crepe Francês é alimento muito versátil, leve e saudável, seu sabor é definido pelo recheio. Pelo seu baixo teor de gordura ele pode ser considerado como uma refeição saudável.

Os crepes estão sempre em alta graças à capacidade de se renovar, incorporando novos ingredientes – doces ou salgados. Com disposição para encarar todo tipo de companhia, os crepes jamais saem de moda. Doces, salgados, quentes, grandes, em tamanho miniatura, dobrados, enrolados, abertos ou sobrepostos, com os mais variados recheios: picados, desfiados, pastosos, ou cremosos, eles sempre são bem-vindos!!!

Crêpe ou Galette, você conhece?

Alimento ainda pouco conhecido pela maioria dos profissionais de cozinha, os crepes têm sua origem nos primórdios da civilização. Os crepes não são uma invenção recente, historiadores demonstraram que sua origem se deu a 7000 anos antes do Cristo! Naquela época era uma mistura feita de diversos cereais amassados com água para formar uma pasta que era em seguida assada em uma pedra chata bem quente. O crepe, ou galette, aparece na Bretanha no 13ª século trazido pelos Cruzados das culturas do trigo *sarraceno da Ásia. Inicialmente produzidas com o sarraceno, às crepes ganharam o formato que conhecemos hoje no inicio do século anterior graças à chegada da farinha de trigo branca.

Na França berço da expansão mundial dos crepes, costuma-se usar o trigo sarraceno para a confecção das “galettes”, pois este cereal possuiu um sabor bem caraterisco e é muito apreciado com recheios salgados. Lá os crepes feitos com farinha de trigo são mais utilizados em recheios doces e sobremesas, mas isto não é necessariamente uma regra.

É isso aí pessoal!!! Espero que tenham gostado da nossa sugestão!!!

Você já foi visitou o local? O que achou? Como foi sua experiência? Nos conte e compartilhe!

 

 

Jeff & Paty

Com Pé na Estrada

 

 

Sigo-nos no Facebook: http://www.facebook.com/compenaestrada

Faça parte do nosso Grupo no Face – https://www.facebook.com/groups/compenaestrada/

Siga nosso Insta: @ComPenaEstrada1 – https://instagram.com/compenaestrada1/

Mande suas dúvidas e/ou sugestões por e-mail: compenaestrada1@gmail.com

Seguro Viagem: Adquira seu Seguro Viagem com a Mondial Seguros nos Banners do Blog e ganhe 15% de desconto!

Booking: Toda compra realizada através dos banners do Booking em nosso Blog, o Com Pé na Estrada ganha uma comissão, mas você não tem nenhum custo extra, apenas nos ajuda a manter o blog ativo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s